Inscrições abertas para a programação do 2º semestre, conecte-se!

Ciclo (re)Existirmos 2021
Grupo do Livro Vermelho
Solicite o Link de acesso!

Acesse os vídeos com 50%!

Clique e solicite seu acesso!

Apoio Psicológico do NJF


Em solidariedade, reconhecimento e respeito ao trabalho realizado pelos profissionais da linha de frente na pandemia da Covid-19 oferecemos, em caráter gratuito, por psicólogos e médicos membros do corpo clínico do Núcleo Junguiano de Florianópolis, atendimento a estes  profissionais, em suas diversas categorias. 

Serão oferecidas sessões on-line, de psicoterapia breve, focal, de orientação junguiana. 

Atendimento exclusivo. É necessária a comprovação do vínculo funcional.

Agende através do contato: +55(48) 9 9649-8669.

Acesse a aba do projeto para saber mais!

Click e saiba mais sobre o Projeto!
Cópia de Calendário com fotos_ Vidas Neg

Nós, do NJF, nos unimos a SBPA e fazemos das suas palavras também as nossas.

Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica – SBPA (SP e RJ)
Associação Grupo de Psicologia Analítica na Amazônia – AGPAA

Nós, analistas membros da Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica, SBPA SP e RJ, e da Associação Grupo de Psicologia Analítica da Amazônia, em apoio aos colegas da Sociedade Brasileira de Psicanálise do RJ, manifestamos nossa indignação frente à banalização e descaso do governo e autoridades brasileiras à situação de calamidade em que se encontra o Brasil.

Tem sido feridos os Direitos fundamentais elencados na Constituição Federal que protegem a dignidade humana, entre estes o direito à vida e a sua preservação.  A população tem sido induzida a erro e ao autoengano desde o começo da pandemia, pelo discurso perverso de quem deveria dar o exemplo e proteger seu povo. A gravidade da doença que acomete as vítimas do Coronavirus tem sido minimizada pelo discurso das lideranças e seu risco ocultado.  Enquanto, em outros países, o papel exercido pelas lideranças tem sido fundamental no controle e reversão da pandemia, somos bombardeados por um discurso que coloca distorções ideológicas acima da vida, que ridiculariza a apreensão das pessoas, que ignora a dor de quem sequer pode velar seu querido morto.

Vivemos uma crise sanitária sem precedentes, e, lamentavelmente, uma crise humanitária e ética ainda maior. As estatísticas são alarmantes, as previsões são de que este será o mês de março mais triste de nossa história. Aproximadamente 2000 mortos por dia. 2000 pessoas, 2000 Josés, Marias, Fernandos, Carlas. Cada número um nome, uma luz que se apagou, uma família que chora.

Somos profissionais da saúde mental e lidamos diariamente com o sofrimento dos brasileiros acometidos pela dor do luto referente à perda de entes queridos e pela ansiedade frente a uma situação de caos e falta de esperança. Os profissionais da linha de frente, incluindo desde os médicos aos faxineiros, também estão sob o jugo da responsabilidade, do medo e da impotência. E sequer recebem o reconhecimento de quem deveria premiá-los.

Mas nós ainda temos a voz, temos o dever moral de nos indignarmos e de lutarmos pelo restabelecimento do respeito à vida de cada um dos brasileiros.

Nos valemos do direito fundamental da livre expressão para reivindicar vacinas para todos, medidas urgentes e severas de isolamento social, atenção às orientações da ciência e cuidado do governo do Brasil com a população desvalida pela qual é responsável.

Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica – SBPA (SP e RJ)
Associação Grupo de Psicologia Analítica na Amazônia – AGPAA